21 de mai de 2008

BELEZA PÕE MESA OU NÃO?

(Pedro Muniz)

Quando Deus criou o homem
Viu-lhe naquela aflição
Viu também necessidade
De acalmar-lhe o coração
E perguntou-lhe porém
Me diz que diabo tem
Que não sossega Adão?

Ele respondeu, não sei
Sinto um aperto danado
Machucando o coração
Como se fosse arrancá-lo
Deus disse: é brincadeira!
E fez uma companheira
Para poder acalmá-lo

Vai dormir, para acalmar-te
Que eu vou ver o que faço
Quando acordou ele estava
Com dor debaixo do braço
Deus arrancou-lhe a costela
E fez uma mulher bela
Da cabeça até embaixo

Mas Adão ainda não tinha
Na vida muita malícia
Ficou só a apreciar
Do paraíso a delícia
Só descobriu o amor
Quando Eva o agarrou
E lhe fez uma carícia

Até hoje nós pagamos
Pelo “erro” de Adão
Por ele não ter controle
Sobre o próprio coração
Padecemos até morrer
Sem ter a quem recorrer
Morremos sem salvação

Mas Eva era bonita e,
Afinal só tinha ela
E Adão tinha direito
Pois era sua costela
Fez o que fez porque quis
Querendo ele ser feliz
Nos meteu numa esparrela

Mesmo assim somos felizes
Pois podemos escolher
Tem tanta mulher no mundo
Que um dia quando eu morrer
Meu nome está no caderno
Do comandante do inferno
Não tenho pr’onde correr

Pra pegar mulher bonita
Exige todo um ensaio
Você fica meio longe
Olhando só de soslaio
Que é para não ter surpresa
Perdendo assim sua presa
Por causa de um “atrapaio”

A feia é só chegar
Não precisa encenação
Agarra ela pelo braço
Derruba ela no chão
Diz vou tirar meu atraso
“pegar” você depois “vazo”
Me diga se quer ou não

Pra encurtar a história
Eu vou ao “x” da questão
Responder sobre a beleza
Se ela põe mesa ou não
Isso não me aperreia
Se eu “pegar” mulher feia
É pra não ficar “na mão”

Esse questionamento
Me trás alguma tristeza
Exige muito cuidado
E bastante sutileza
E pra não magoar ninguém
Todas elas sempre têm
No fundo alguma beleza.

Pedro Muniz
Acadêmico de Letras
FAP – Pimenta Bueno - RO